fbpx
25/10/2017 POSTADO EM: Economia Gerais Notícias

Postado por:

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

oito − 1 =

    Salete

    As MEIS, deveriam ter sido criadas com mais rigor. O certo seria para manicures, pedicures, pintores de paredes, pedreiros, pipoqueiros individuais, e, outras pequenas profissões. Entretanto, foi criada sem regras e assim tem muitas, tipo comércio e indústria, que estão além do faturamento e aproveitam o regime e ainda abandonam o CNPJ. Isto dever ser um nó nos arquivos da Receita Federal. É correta a restrição, mas tem que haver mais rigor, caso contrário será mais um peso pesado nas contas da Previdência Social.

    Responder

      Andre

      Concordo, além de ser um grande instrumento de fraudes trabalhistas e fiscais, abrange uma universalidade de pessoas desorganizadas, sabe-se de muitos que faturam além do limite, empregam um funcionário com CTPS assinada e mantém tantos outros sem registro. Não se dispõe pagar adequadamente por uma assessoria contábil. Além de tantos outros que constituem vários MEIs para dividir o faturamento e ficar dentro dos limites. Chegou o momento em que o tratamento diferenciado passa a ser visto como instrumento de fraude e desorganização.

      Responder

      Aloisio M. Neto

      Equiparação, ambos são empresários (indústria, comércio, serviços). Não vejo diferença de uma pessoa que confecciona ex. bijuterias, entre outras num ateliê em sua casa! ( Ao comprar matéria prima para emitir nota usaria o CNPJ) MEI o nome já diz tudo.

      Responder