fbpx
16/12/2019 POSTADO EM: Economia Notícias

Postado por:

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dez + 11 =

    salete

    Espero que tenham observado que o titular de uma MEI, é limitado à contribuir ao INSS com o valor máximo de um salário mínimo nacional. A classe de motoristas tem ganhos maiores e se por qualquer motivo, tenha que se encostar na previdência, terá o auxilio de somente um salário mínimo, o que pode ocasionar dissabores futuros ao caminhoneiro habituado a um padrão de vida mais caro. O ideal seria que pudesse contribuir como autônomo, com redução de alíquota e fosse livre sobre o teto a contribuir. Por outro lado, espero que a MEI seja regulamentada de acordo com as demais empresas (ME EPP E NORMAL), com relação ao meio ambiente. Há algum tempo ouvi de um Lava car enquadrado como MEI, que estava isento das obrigações junto ao Instituto Ambiental do Paraná, por se tratar de MEI. Estranho, então a MEI não polui? Além de prejudicar outros empresários que possuem mais empregados (ME ou EPP) na concorrência de preços, ainda pode poluir à vontade? E não é só poluição, as MEIS também não estão obrigadas aos programas trabalhistas e isto irá ocasionar grandes prejuízos no futuro à Previdência Social. Não por acaso, um entendido disse que o próximo problema da previdência será por conta das MEIS.

    Responder